Google+ Badge

segunda-feira, 10 de março de 2014

A CRISE NA UCRÂNIA_parte I

ENTENDO A CRISE DA UCRÂNIA

Introdução
A Ucrânia é a 2ª maior nação da Europa em área, sendo a Rússia a primeira.
Conhecida como celeiro da extinta URSS, devido a grande produção de cereais e possui ainda grande reserva de carvão, ferro e manganês.
No litoral do Mar Negro fica o movimentado porto de Odessa.
A frota militar da Rússia está ancorada em Sebastopol, na Península da Crimeia, desde os tempos da antiga URSS permanece na região, por meio de um acordo selado em 1997 entre Ucrânia e Rússia.

1. Um pouco da História

Século IX – A Ucrânia localiza-se no território inicial do Império Russo, em torno de Kiev.
Século X – Eslavos, escandinavos e bizantinos fundem-se na cultura do novo reino, cristianizado no mesmo século.
Século XIII e IV – Após a decadência dos principados russos em face de invasões mongóis e os ucranianos foram dominados por polonês e lituano.
Em 1667 – a porção da Ucrânia a leste do Rio de Dnieper torna-se parte da Rússia e a região Oeste é anexada pela Polônia.
Século XVIII – Partilha do território polonês e a Rússia amplia seus domínios.
1905 – Ocorre uma revolução (Domingo Sangrento) e o czar concedeu maior liberdade aos ucranianos e revoga a proibição do uso de seu idioma natal.
1917 – Nacionalistas de direita proclamam a independência durante a Revolução Russa.
1920 – Os comunistas assumem o controle do país e perdem parte do território em confronto com a Polônia. Com isso a parte Ocidental fica com a Polônia e a Oriental fica com a Polônia, Tchecoslováquia e a Romênia. A Região Central e Oriental transforma-se em parte integrante da U.R.S.S.
1990 – O “soviete supremo” (Parlamento) da Ucrânia declara a soberania do país.
1991 – O fracasso do golpe de Estado promovido em Moscou pela linha dura soviética precipita a independência da Ucrânia. Logo em seguida o país participa com a Rússia e Belarus da criação da CEI.
1994 – Leonid Kuchma vence as eleições presidenciais da Ucrânia e inicia reformas econômicas liberalizadas.
1995 – O Parlamento anula a Constituição da Crimeia, república autônoma com a população majoritariamente russa que buscava a incorporação à Rússia.
1997 – Ucrânia e Rússia firmaram um acordo sobre a frota militar no Mar Negro. Os russos ganharam através de arrendamento o controle do porto de Sebastopol (Crimeia) para lhes servir de base.
2004 – Denúncia de fraude marcar a eleição presidencial vencida pelo 1º Ministro Viktor Yanukovich, politicamente aliado da Rússia.
Milhares de pessoas contrárias ao novo presidente protestam nas ruas, movimento que ficou conhecido como “Revolução Laranja”, cor utilizada pelos partidários de oposição.
2010 – Líder de oposição e derrotado pela Revolução Laranja Yanukovich pró-Rússia elege-se presidente.

2 . Atualidades – A crise da Ucrânia

2013 – Novembro – Foi o início da crise atual quando Yanukovich se negou a assinar um acordo econômico com a União Europeia, preferindo um empréstimo russo.
Yanukovich é acusado de estimular uma corrupção sem precedentes nas instituições do Estado da Ucrânia.
Esse estopim desencadeou uma grande e violenta manifestação popular na Praça Maidan para depor o líder politico.
Fevereiro de 2014 – Kiev assistia a queda de Yanukovich e enchia de esperança os manifestantes nacionalistas e pró-Europa.

O novo governo

Em Kiev o Conselho de Maidan, que reúne os líderes políticos dos protestos, da sociedade civil e dos grupos radicais ucranianos dá posse ao presidente interino Olexander Turchinov.
Enquanto os líderes pró-ocidentais consolidam o poder em Kiev aumentam os receios de que a Crimeia, com a maioria de população russa, passa a ser o alvo de Putin e da uma possível separação.

O novo presidente interino da Ucrânia em seu primeiro pronunciamento advertiu que caso a frota russa permaneça na Crimeia ocupando áreas que não façam parte do acordo de 1997 será considerado como um ato de “agressão militar”.