Google+ Badge

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Chinesas prendem cabelo no teto para não dormir enquanto estudam

Por  | Vi na Internet – sex, 31 de jan de 2014
http://br.noticias.yahoo.com/blogs/vi-na-internet/chinesas-prendem-cabelo-no-teto-para-n%C3%A3o-dormir-192146436.html
Foto: Weibo

"A concorrência nos vestibulares e nas universidades chinesas é imensa: milhões de candidatos lutam todos os anos por vagas nas universidades do país oriental. A única opção dos estudantes é encarar jornadas de até 16 horas de estudo por dia para conseguir aprovação nos exames. As meninas chinesas acharam um jeito inusitado de estudar por horas a fio sem adormecer.
Elas prendem o cabelo ao teto para evitar cochilar. Cada vez que elas adormecem, levam um puxão no cabelo e, assim, despertam. O método criado pelas estudantes universitárias ganhou muitas adeptas, pois milhares de outras garotas também postaram suas fotos com o macete na rede social Weibo - uma versão chinesa do Twitter, - conforme notícia o jornal O Globo.

A ideia virou mania na China depois que Chen Tang, de 20 anos, postou uma foto fazendo o uso da técnica. Chen desenvolveu a ideia com a sua companheira de quarto, Huang Lu, de 21 anos. Elas estudam numa universidade da província de Fujian, no sudeste da China. Ligar o ar-condicionado e e tomar doses cavalares de café já não surtia efeito, contaram elas ao jornal inglês Daily Mail.
De acordo com as universitárias, elas estudaram métodos de antigos estudiosos chineses para manter a concentração. Um dos exemplos era prender os cabelos do dorminhoco no teto. Chen e Huan adaptaram a ideia com prendedores de roupa. Chen diz que a técnica dá resultado: “Os estudos são tão cansativos, que a prática do cabelo pendurado o torna mais interessante e eu me sinto muito mais disposta desta forma”. Curtiu a ideia?"
Calma, não precisa se apavorar. É lógico que não há necessidade de chegar a esse extremo, pois o Brasil não é a China. Portanto, aqui a relação candidatos vagas é menor que a chinesa. Basta fazer o normal: assistir aulas, tirar dúvidas, ler, fazer os exercícios e separar pelo menos duas horas por dia para estudar em casa. Eis a receita para ser aprovado (a).
Prof. Marquinhos