Google+ Badge

quarta-feira, 29 de abril de 2015

GENOCÍDIO ARMÊNIO

A Armênia localiza-se no sudeste da Europa e o país é abrangido pelo Monte Cáucaso.


A maioria da população é cristã e cercada de muçulmanos todos os lados por todos os lados como a Turquia e Irã.
A população atual é de aproximadamente 3 milhões de habitantes.
Com o advento da Primeira Guerra Mundial, o Império Otomano e o Império Russo ocuparam o Cáucaso durante a "Campanha Persa", o novo governo turco começou a olhar para os armênios com dúvidas e suspeitas. Isso era conveniente com o fato do Império Russo ter em seu exército um contingente de voluntários armênios. Em 24 de abril de 1915, cerca de 600 intelectuais armênios foram presos e exterminados a mando de autoridades otomanas, e, com a lei Tehcir (29 de maio de 1915), uma grande parcela da população Armênia que vivia na Anatólia começou a ser deportada e privada de seus bens, em um processo que levou a morte de cerca de 1,5 milhão de armênios.
Este evento aqui iniciado ficaria conhecido como genocídio armênio. Havia uma resistência Armênia na região, desenvolvida contra a atividade otomana. Os eventos de 1915 a 1923 são considerados pelos armênios e pela maioria dos historiadores ocidentais como um assassinato em massa patrocinado pelo estado, ou genocídio.
Entretanto, como a Turquia, herdeira direta do Império Otomano e que insiste na negação do genocídio armênio, é uma forte aliada ocidental na Ásia Menor e Oriente Médio, tanto os governos dos Estados Unidos como da Grã-Bretanha são lacónicos na categorização do massacre dos armênios como genocídio.
Autoridades turcas afirmam que as mortes são provenientes de uma guerra civil, acompanhada das doenças e fome que assolaram o Império Otomano no início do século XX, com baixas tanto para armênios quanto para turcos. As estimativas de mortos variam entre 650 mil e 1,5 milhão, sendo esta última cifra a mais aceita pelos historiadores ocidentais e mesmo por alguns intelectuais dissidentes turcos, como Orhan Pamuk, Nobel de Literatura em 2006 e Taner Akcam, professor da Universidade de Minnesota.
A Armênia tem feito campanhas para o reconhecimento do genocídio no mundo por trinta anos. Esses eventos são tradicionalmente realizados no dia 24 de abril, data que marca o início do genocídio armênio.
Embora o exército russo tenha obtido mais ganhos do que o exército otomano durante a Primeira Guerra Mundial, esta vantagem fora perdida com o advento da Revolução Russa de 1917. Neste momento, a Rússia controlava a Armênia oriental, Geórgia e Azerbaidjão, criando uma ligação com a República Democrática da Transcaucásia em 28 de maio.
Aproveitando-se da Revolução Russa, os armênios sob domínio russo estabelecem, em 1918, uma república independente. O país é invadido pela Turquia. Para evitarem outro genocídio os armênios aceitaram a intervenção de tropas russas que expulsaram os turcos.
Em 1920 a Armênia torna-se uma República Soviética.
Em 1991 com o fim da URSS a Armênia ganha sua independência.

ATUALIDADES

A Turquia até hoje não perfilha o "Genocídio Armênio" preferindo tratar esse episódio como "guerra civil". Porém vinte países incluindo a França e a Rússia já reconheceram esse ato como genocídio.
No dia 24 de abril de 2015, véspera do centenário oficial do massacre foi a vez da Alemanha também reconhecer o genocídio que deixou 1,5 milhões de mortos.
O risco desse reconhecimento é ofender a Turquia, um importante aliado que Berlim sempre tentou poupar sobre o assunto.
Não podemos esquecer que a Alemanha é o segundo lar dos turcos, visto que 3 milhões deles vivem na Alemanha, o que poderá ocasionar manifestações turcas contra o governo alemão.
Obs.- O Brasil ainda não reconheceu o massacre contra os armênios como genocídio, pois mantêm relações diplomáticas e comerciais saudáveis com a Turquia e não pretende enfraquece-las, mesmo diante do clamor por justiça.

PA - Turcos e Armênios

1º e 2º Anos_Ensino Fundamental
Colégio Novo Anglo
Atualidades

1. Leiam o texto acima.
2. Além do texto pesquisem e façam um resumo de pelo menos 20 linhas e também sua própria conclusão.
3. Respondam as questões abaixo.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

1- Apresentação - 20% da nota.
O trabalho deve ser feito à mão, com letra legível, sem rasuras, com bibliografia e deve iniciar contendo nome e sobrenome do aluno e a série e apresentar a bibliografia consultada.
2. Resumo e Questões e Conclusão - 80% da nota.
3. O trabalho deverá ter: a) Introdução; b) Relato Histórico; c) Conclusão (deverá ser da cada aluno).

Não serão aceitas cópias de outros trabalhos, não aceitarei trabalhos que não sejam entregues no prazo estipulado, para dia 03 de junho de 2015 até às 13 horas.



Perguntas


1. Diferenciem genocídio de guerra civil.

2. Localizem a região da Armênia, utilizando para isso, as Coordenadas Geográficas.

3. Quais as razões que levaram vários países a reconhecer o genocídio e o Brasil não?



Fui